¿Quién soy?

Luís no ha dejado descripción.

No recibió nunguna opinión.

Nota promedio:
5/5

Febrero 2022

Viagem: de Fátima aos Picos da Europa (Cantábria/Astúrias). Período: 26 de dezembro a 1 de janeiro de 2021. Dois adultos e três menores de 14, 12 e 9 anos. Três bicicletas. Decisão: tomada a 3 dias da partida (verificação de condições meteorológicas muito favoráveis na proximidade do período). Kms: ~2000. Preço aproximado: 1.300 € (aluguer + franquia 150€ por quebra isolada de vidros + combustível + portagens). Todos me desaconselharam este destino no inverno. Esqueçam!! Com Sol e pouco ou nenhum vento é só a melhor altura para este passeio. Manga curta a 1800 m de altitude, neve por todos os lados, paisagens incríveis e filas pequenas para teleférico de Fuente Dê, possibilidade de ir de autocaravana até aos Lagos de Covadonga (18 graus às 18h30), etc. Quero ver alguém a ter estas experiências na Primavera ou Verão (em que só se vê cascalho).

Erro de principiante e que o “sempre disponível” Miguel pode corrigir: o condutor deve realizar SEMPRE PESSOALMENTE e antes de partir todos os procedimentos de manutenção da autocaravana. Deve confirmar também a operacionalidade de todas as luzes. Só ver fazer ... não chega. Há sempre uma fechadura com uma “manha”, uma mangueira rota, um adaptador de mangueira em falta. E não esquecer: qualquer hora parado numa oficina é frustrante e sai muito caro pois, por dia, esta modalidade de férias custa quase 200€. Esta autocaravana é a escolha certa para inverno. Vi muitas e não encontrei outra com aquecimento que não dependesse de eletricidade externa ou de ter que ter o motor a trabalhar. Em bom rigor precisámos de ligar o aquecimento poucas vezes e apenas por 15 minutos. Este aquecimento distribui-se por toda a autocaravana o que para secar roupa é do melhor. Num dos dias pernoitámos a 1000m de altitude e mesmo assim só ao levantar sentimos necessidade de aquecer o espaço. A temperatura exterior só rondou os zero graus numa das noites. O aquecimento produz ruído que, embora baixo, é incompatível com o sono. A autocaravana mostrou uma autonomia de dia e meio em termos de cassete de WC e águas residuais. Mostrou também que tem um motor muito vivo: 100 a 120 Km/h sem problemas. Que genica. Em Espanha é usar e abusar das autopistas que raramente têm portagens. Consumos de 10 litros a 13 litros aos 100. Do segundo dia em diante surgiu um stress no motor que nos impedia de o recolocar em funcionamento imediatamente depois de estacionar. Passados alguns minutos ou horas permitia-nos de novo ligar. Foi desagradável ter esta preocupação permanente ... Outro veio com a experiência: tudo dentro de uma autocaravana é SUPER FRÁGIL e MEGA CARO. Uma das minhas filhas ao fechar uma janela forçou um pouco e partiu o acrílico. A reposição de um simples acrílico que deve custar uns 20€ foi orçamentado pela seguradora Tranquilidade custar 818,93 €. Valeu a pena ter feito um reforço de seguro e haver uma franquia “só” de 150 € para este “sinistro”. Com 5 pessoas a bordo tudo acontece muito devagar e por isso esta é uma modalidade interessante para o inverno em que as noites são longas. Ainda assim sentimos sempre falta de tempo. O número de quilómetros também foi excessivo para o período definido. Uma autocaravana oferece uma liberdade ímpar. Porém nunca nos devemos esquecer que usar a marcha atrás é “proibido”. Falta de visibilidade, manobrabilidade muito limitada pelas dimensões do veículo, etc. Ou seja, sempre que se vir uma rua estreita, carros mal-estacionados, símbolos de túnel baixo … não arriscar. Fundamental: instalar a app Park4Night. Saldo geral: positivo. Uma experiência que nos ficará na memória por muitos e muitos anos.